Série Presidentes Africanos, do jornalista Franklin Martins, tem pré-estreia no Instituto Lula

O Instituto Lula exibiu nesta segunda-feira (27) a pré-estreia do primeiro programa da série Presidentes Africanos, do jornalista Franklin Martins e produzido pela Cinevídeo. O evento contou com a presença de estudiosos da África, empresários, representantes de organizações e diplomatas de países africanos, além do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

A sessão foi aberta por Clara Ant, diretora responsável pela Iniciativa África do Instituto Lula, que deu as boas vindas aos presentes e ressaltou que as relações com o continente africano são parte de uma linha de trabalho permanente do instituto. Logo depois, Franklin Martins apresentou o projeto, que é composto de 15 programas, sendo um de abertura e 14 sobre países específicos. Cada vídeo é composto por uma entrevista com o presidente e reportagens sobre a história e a atual realidade de cada país.

O conjunto dos 15 programas deve estar pronto no início do ano que vem e estará disponível em seis línguas: português, espanhol, inglês, francês, árabe e suahili.

Nessa sessão de pré-estreia foram exibidos um promo da serie e o primeiro vídeo, uma entrevista com o presidente de Moçambique Armando Emílio Guebuza. O programa relembra a história de Moçambique passando pelo período de colonização portuguesa, a luta pela independência, a guerra civil e finalmente o período de paz que se iniciou em 1992. A história retoma passagens e discursos de grandes líderes africanos como Eduardo Mondlane e Samora Machel.

A entrevista com o presidente Guebuza aborda também temas recentes como a descoberta de reservas de gás, a redução da depência do país de doações externas e a fábrica de antirretrovirais que será instalada no país em parceria com a fundação brasileira Fiocruz.

Após a exibição, Franklin Martins revelou que suas viagens e entrevistas pela África mostram que o ex-presidente Lula é uma figura recorrente nas conversas, e que hoje muitos africanos vêem o Brasil como um exemplo, como uma “África que deu certo”, que conseguiu superar muitos desafios que a África também enfrenta hoje. Murade Miguigy Murargu, embaixador de Moçambique no Brasil, fez um curto pronunciamento após o filme e também lembrou o ex-presidente. “O presidente Lula foi o grande arquiteto das relações que existem hoje entre Brasil e África. Sem a ousadia e a coragem dele, talvez não pudéssemos viver esse momento que vivemos agora”.

Entre os convidados, também estava Jorge Chediek, coordenador-Residente do Sistema Nações Unidas no Brasil e Representante-Residente do PNUD. “O Brasil tem sido, não só para os africanos, mas para muitos países do Sul, um exemplo de como desenvolver política para melhorar a vida das pessoas. A demanda que recebemos no Pnud de países que querem entender melhor como funcionaram as políticas do governo Lula, que agora estão sendo continuadas com Dilma, é enorme”.

Entre os objetivos do Instituto Lula está justamente ampliar a cooperação e o intercâmbio da sociedade brasileira com a África e a América Latina.

Anúncios
Esse post foi publicado em Sem categoria. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s