Escândalo: Esso dá prêmio da Record à Folha

E foi a Record quem comprovou que Ricardo Teixeira é o dono de fato da Sanud, empresa em paraíso fiscal que, segundo a Justiça suíça, recebeu dinheiro de propina das vendas de direitos de transmissão: é seu irmão, Guilherme Teixeira, quem representa a empresa no Brasil.

O Conversa Afiada reproduz e-mail que jornalistas da Record enviaram aos organizadores do Prêmio Esso:

São Paulo, 17 de outubro de 2012

CARTA DE PROTESTO

À organização do Prêmio ESSO de Jornalismo e Telejornalismo

Prezados Ruy e Fernando Portilho,

Não nos causou espanto a inclusão do trabalho “O jogo suspeito e a queda de Ricardo Teixeira”, inscrito pela “Folha de S. Paulo” no principal e mais respeitado prêmio de jornalismo do País. Afinal, tal qual para nós, os repórteres daquele jornal e o júri consideram graves e relevantes as denúncias que culminaram com o fim da era Teixeira no futebol brasileiro e mundial.

O que nos causou indignação (e não necessariamente surpresa) foi o fato de a organização ter ignorado a origem do material – o duro trabalho investigativo dos repórteres da TV Record.

Durante meses, percorremos diversas cidades do País, reviramos documentos públicos, ouvimos fontes, checamos informações, cruzamos dados. Apuração detalhada que resultou em reportagens veiculadas de junho de 2011 a março de 2012 (quando o dirigente apresentou a carta de renúncia). O trabalho foi resumido desta forma, na nossa inscrição ao ESSO:

“As denúncias que levaram à saída do poderoso ex-presidente da CBF foram reveladas em série de reportagens do Jornal da Record, exibidas ao longo de 2011 e 2012. As graves denúncias mostram como o cartola usou o futebol brasileiro para ficar milionário e alcançar status de autoridade no meio político.

Reportagens exclusivas desvendaram os nebulosos negócios de Teixeira envolvendo o amistoso entre Brasil e Portugal, que lesou os cofres do Distrito Federal em mais de R$ 9 milhões. Amigos de Teixeira foram beneficiados e superfaturaram a conta. Até a suíte presidencial ocupada pelo cartola teve as diárias superfaturadas. Foi nossa equipe que descobriu que Teixeira era o sócio oculto da empresa que organizou o amistoso.

As matérias mostraram o patrimônio milionário de Teixeira, incompatível com o salário de dirigente, e os negócios com parceiros da FIFA que se beneficiarão dos jogos de 2014. O dono da agência que fará a venda dos pacotes turísticos repassou uma cobertura a Teixeira por um quinto do preço de mercado. Foram reveladas nas reportagens a estreita relação comercial dele o presidente do Barcelona, com Sandro Rosell – que teria se beneficiado com a Seleção Brasileira. E foi a Record quem comprovou que Ricardo Teixeira é o dono de fato da Sanud, empresa em paraíso fiscal que, segundo a Justiça suíça, recebeu dinheiro de propina das vendas de direitos de transmissão: é seu irmão, Guilherme Teixeira, quem representa a empresa no Brasil.

As reportagens da TV Record tiveram repercussão nacional e internacional e serviram de referência para matérias de outros veículos. No exterior, ‘The Economist’ e ‘Le Monde’, entre outros. No Brasil, o jornal ‘Folha de S.Paulo’ publicou os documentos obtidos pela Record, durante várias edições.

As denúncias motivaram abertura de investigações no Ministério Público Federal, Polícia Federal, pedido de investigação no Congresso. E culminaram com a queda do homem mais poderoso da história do futebol brasileiro.”

Importante destacar este trecho da nossa ficha: “No Brasil, o jornal ‘Folha de S.Paulo’ publicou os documentos obtidos pela Record, durante várias edições”. Foi, de fato, o que aconteceu. Após a veiculação de nossas reportagens, entregamos a colegas da “Folha” e de outros veículos os documentos obtidos ao longo da investigação.

A inciativa, frise-se, partiu de nós, por consideramos o assunto de importância para a coletividade. Principalmente quando revelamos (em 30 de junho, 22 de agosto e 30 de setembro) a relação do dirigente com a empresa Ailanto Markenting – o que tornava o caso extremante grave.
http://esportes.r7.com/futebol/noticias/mp-cobra-r-9-mi-desviados-pela-cbf-em-farra-no-df-20110630.html
Em uma das reportagens, a “Folha” chegou a dar crédito à Record.

http://www1.folha.uol.com.br/fsp/esporte/26194-teixeira-recebeu-de-suspeita-diz-policia.shtml

Mas, antes de ter acesso a esses documentos, a “Folha” tratava as reportagens como simples instrumento de uma guerra comercial.

http://www1.folha.uol.com.br/fsp/ilustrad/fq3108201104.htm

http://www1.folha.uol.com.br/ilustrada/929297-tv-record-abre-fogo-contra-ricardo-teixeira-cbf-e-corinthians.shtml

http://www1.folha.uol.com.br/esporte/1025453-bergamo-ricardo-teixeira-inicia-reaproximacao-com-a-record.shtml

É importante ressaltar, portanto, que consideramos legítima a iniciativa de nossos colegas de inscrever a série de matérias na disputa do prêmio. Afinal, reconheceram que a Record veiculou um material jornalístico, checaram as informações e acrescentaram algumas outras.

Novamente: a nossa indignação não se dá pela nossa ausência entre os finalistas, mas pela falta de coerência da organização do prêmio. O júri é soberano; não nos cabe qualquer tipo de contestação sobre as escolhas. Mas, se na avaliação do ESSO as denúncias da Record são irrelevantes, a lógica deveria ser a mesma para as reportagens replicadas pela “Folha”.
Sabemos que os jurados das categorias Sudeste e Telejornalismo são diferentes e independentes, e por isso acreditamos que caberia à organização um olhar clínico sobre o todo.

Afinal, como já narrado acima, as reportagens exibidas pela Record repercutiram em toda a imprensa e em importantes segmentos da sociedade.

CNN:http://portalimprensa.uol.com.br/noticias/brasil/44054/cnn+repercute+denuncias+contra+teixeira+veiculadas+pela+record/

THE ECONOMIST: http://www.economist.com/node/21530991

Foram as matérias da Record que a revista Piauí repercutiu com Ricardo Teixeira, em longo perfil publicado sobre o dirigente. A resposta dele se tornaria célebre: “Quanto mais tomo pau da Record, fico com mais crédito na Globo. Só vou ficar preocupado quando as acusações saírem no Jornal Nacional”.

Para finalizar nosso protesto, deixamos as coincidências – que poderiam ter sido notadas. Na inscrição ao prêmio, demos ao conjunto de reportagens o título “A queda de Ricardo Teixeira”; à primeira série de matérias na TV Record, “Jogo sujo”.

Que o nosso trabalho e o da “Folha” (“O jogo suspeito e a queda de Ricardo Teixeira”) sejam avaliados pelos seus respectivos méritos.

LUIZ CARLOS AZENHA
AMAURY RIBEIRO JR
ANTONIO CHASTINET
LEANDRO CIPOLONI

Observação: esta carta é de autoria exclusiva dos quatro jornalistas acima, e não da TV Record (é remetida, inclusive, de nossos e-mails particulares). Esperamos que este nosso protesto não comprometa a avaliação dos trabalhos de nossos colegas e amigos de emissora na final do prêmio de Telejornalismo.

Anúncios
Esse post foi publicado em Sem categoria. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s